Você está acessando como visitante. Cadastre-se ou faça login para enviar comentários, divulgar eventos, etc.

Notícias

O Papa enviou uma mensagem aos bispos argentinos, reunidos até sábado em assembleia plenária, estimulando-os a irem ao encontro da sociedade para a evangelizar.

Na carta publicada no site do episcopado, Francisco, que até ser eleito foi arcebispo de Buenos Aires, acentua que privilegia um catolicismo em contacto com as “periferias existenciais”, mesmo que essa opção implique riscos, dado que uma Igreja que não sai de si mesmo “adoece na atmosfera viciada do seu fechamento”.

Passou um mês desde a eleição para a Cátedra de Pedro do Cardeal Jorge Mário Bergoglio. Desde os primeiros momentos do seu pontificado, o Papa Francisco conquistou fiéis e não-fiéis com a sua simplicidade, a sua ternura, a sua espontaneidade. Algumas das suas palavras, bem como alguns dos seus gestos, fazem já parte da memória coletiva.

O sucesso dos livros do Papa Francisco, ou sobre ele, é espantoso. É o que revela o L’ Osservatore Romano, ao comentar a chegada às livrarias no último dia 8 do título “Rezem por mim”, editado pela Livraria Editora Vaticano (LEV).

O Diretor da LEV, Padre Giuseppe Costa, confirma este interesse pelos livros sobre o tema ‘Papa Francisco’, e expressa sua satisfação pelo fenômeno: “Estamos realmente muito contentes pelo sucesso do Papa nas livrarias. Ele está divulgando uma mensagem de esperança a todos”.

O programa ‘Igreja em Comunhão’ desta quarta-feira (17) recebeu o bispo de Petrópolis (RJ), Dom Gregório Paixão, membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Educação e a Cultura da CNBB.

O bispo falou das questões emblemáticas da educação e a cultura no Brasil.

Professores e mais convidados participaram do programa com perguntas ao entrevistado da noite de ontem (17).

Os participantes da 51ª assembleia geral da CNBB que está sendo realizada em Aparecida (SP) até a próxima sexta, 19 de abril, trataram da Questão Nuclear. Numa das sessões da terça-feira, 16 de abril, os bispos, após ouvirem e discutirem uma comunicação sobre a Questão Nuclear no Brasil e no Mundo, decidiram, pelo voto, abrir e aprofundar dentro da Igreja a discussão sobre o tema da defesa da vida, e estimular a ampliação desse debate em toda a sociedade, numa perspectiva de transparência e informação dos cidadãos.

Na tarde da quarta-feira, 17 de abril, sétimo dia da 51ª Assembleia, o bispo auxiliar de Campo Grande (MS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, dom Eduardo Pinheiro participou da coletiva de imprensa realizada no Centro de Eventos padre Vítor Coelho de Almeida, em Aparecida (SP) e falou sobre a importância dos jovens para a Igreja.

A Santa Missa da 51ª Assembleia Geral da CNBB desta quinta-feira, 18 de abril, foi celebrada em Ação de Graças pela Constituição Conciliar Sacrosanctum Concilium. A Celebração Eucarística foi presidida pelo bispo de Livramento de Nossa Senhora (BA), dom Armando Bucciol.

Na procissão de entrada estavam os bispos referenciais de liturgia dos regionais da CNBB.

Completando 50 anos de sua abertura, o Concílio Vaticano II foi um momento muito especial para a fé católica.

Categorias:
jovens, palavras

Ao longo do seu pontificado, o papa Bento XVI se encontrou por três vezes com os jovens nas Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ). Em Colônia, Alemanha, em Sidney, Austrália, e em Madri, Espanha, e em outros momentos de seu governo na Igreja, o papa indicou um itinerário de vida espiritual para a juventude católica. Nestas ocasiões, Bento XVI interpelou os jovens a se questionarem sobre suas escolhas e decisões e para onde elas os conduzem.

O Papa Francisco telefonou para seu sapateiro em Buenos Aires, Carlos Samaria, pedindo a ele para não mudar o modelo de sapatos que passará a usar no Vaticano, provavelmente em maio próximo. “Nada de sapatos vermelhos, pretos como sempre”, disse Bergoglio, fiel ao seu estilo austero e à sua lealdade demonstrada a quem o conhece há anos.

Últimos Tweets